Home » Main » Qual o melhor carro até R$65.000,00?

Qual o melhor carro até R$65.000,00?

Se você está pretendendo comprar um carro e não um avião, veio ao local certo, aqui vamos listar as principais opções para cada faixa de preço. Confira os principais detalhes de cada veículo e decida qual a melhor opção para você e sua família.

Como escolher o seu carro?

1. Leve em conta seu orçamento hoje

Um carro que oferece o que há de melhor nos quesitos conforto e tecnologia provavelmente o conquistará no primeiro instante. Isso porque um acabamento de primeira, sistemas multimídia, rodas, teto e até bancos inteligentes causam uma impressão realmente muito difícil de ignorar.

Mas você não pode se deixar levar por cada item que um concorrente oferece de diferente do outro. Assim, quando menos perceber, acabará deixando de lado os valores que realmente pode pagar. Então nada de sair dos trilhos! Mantenha-se firme às suas condições, faça uma projeção de quanto tem para investir e respeite esse limite.

2. Entenda as formas de pagamento

Saber quanto você precisará pagar por um carro é fundamental sim, mas tão importante quanto conhecer o valor total é saber de que forma esse pagamento será feito. Afinal de contas, não faz parte da realidade da maioria dos brasileiros ter os recursos necessários para comprar um carro pagando à vista e, com isso, conseguir bons descontos, certo? Por isso, é comum que se recorra ao financiamento ou ao consórcio.

A grande vantagem do financiamento é que você já consegue sair dirigindo em um prazo bem curto. Para isso, basta dar a entrada e cumprir os trâmites burocráticos exigidos — que não são poucos. Mas é preciso dar um valor de entrada considerável e ficar atento aos juros da transação para não complicar seu orçamento ao longo dos anos.

Já quem opta pelo consórcio pode ter que esperar um pouco até ser contemplado. No entanto, a modalidade não conta com juros, a burocracia é muito menor e não é necessário dar qualquer valor de entrada para conseguir boas condições. E tem mais: é possível encurtar o caminho até o carro novo por meio dos lances, adiantando mensalidades para melhorar suas chances de contemplação.

Além disso, vale lembrar que as mensalidades mais previsíveis do consórcio são ótimas para quem quer manter as finanças da família sob controle mesmo no momento de adquirir um patrimônio de alto valor.

3. Considere também o amanhã

Na prática, as despesas com o veículo mal começam quando você faz a compra. Dependendo do modelo de carro escolhido, os gastos com impostos, seguro, manutenção e combustível podem tanto transformar o barato em caro como fazer o caro valer a pena ao pagar sua diferença em pouco tempo.

Hoje em dia, por exemplo, um importado de 10 anos atrás pode ser vendido pelo mesmo preço de um popular zero quilômetro. O detalhe é que, por mais que esteja muito bem conservado, ofereça luxo e um desempenho bem superior, é bem provável que seus gastos com gasolina e a primeira troca de peças já deixem seus cabelos em pé.

Por isso, procure saber a respeito do período de garantia dos modelos, pesquise o custo médio da sua manutenção, bem como os valores do IPVA, os índices de consumo de combustível e ainda faça a cotação de um seguro auto. Melhor prevenir agora que se arrepender depois, não concorda?

4. Considere o valor de revenda

Tudo bem que o carro é um grande investimento, mas você provavelmente não ficará com o mesmo modelo pela vida toda. Seja porque os custos de manutenção acabaram ficando altos demais, pelo desejo de adquirir um veículo mais moderno e seguro ou simplesmente por querer comprar um carro melhor no futuro, é bem comum querer trocar o carro após alguns anos.

Por essas e outras, é importante considerar as possibilidades de revender seu carro no futuro. E isso significa entender como ele se desvaloriza. Em geral, a depreciação do valor do veículo é de 10% ao ano, sendo maior nos 3 primeiros anos. No entanto, é preciso considerar que carros populares, aqueles com alta demanda, têm uma desvalorização mais lenta. Já aqueles modelos menos procurados têm uma depreciação bem maior.

5. Conte quantas pessoas usarão o carro

Se você não vai dividir o carro com pais, irmãos ou colegas nem levar os filhos para a escola, um modelo muito grande provavelmente significará desperdício de peso e espaço. Além disso, carros mais robustos têm um consumo maior de combustível e podem exigir mais cuidados com sua manutenção.

Já uma rotina de uso predominantemente por 1 ou no máximo 2 pessoas segue com muito conforto em um carro sem espaço de sobra nos bancos traseiros e no porta-malas, por exemplo.

6. Preveja a rotina de uso

Qual o objetivo de ter o carro? Se você quer ir e voltar do trabalho ou da faculdade todos os dias, fazendo um trajeto bem curto, é mais que possível que um modelo econômico e compacto seja suficiente. Já se sua intenção é fazer viagens, talvez seja interessante buscar um pouco mais de espaço e robustez. Nesse caso, que tal uma caminhonete ou algum outro modelo com espírito aventureiro, que pode oferecer acessórios muito úteis para esses trajetos?

Mas é claro que também dá para atender a uma rotina composta por uma mistura de trajetos e necessidades. É sim possível encontrar o equilíbrio ideal para a vida na cidade e nas estradas — de terra ou de asfalto. Para tanto, basta dar a devida importância a esse ponto na hora de escolher o carro mais adequado para você.

Carros até R$ 40.000,00

Renault Kwid Zen 1.0 – R$ 38.790

O tricampeonato do Kwid representa bem o que a categoria pede: custo/benefício. Verdade que o subcompacto da Renault ficou mais caro e a versão Zen passou de R$ 37.490 para R$ 38.790.

Porém, como o mercado em geral também inflacionou, o Kwid se beneficiou com o corte mais alto da categoria inicial do Melhor Compra 2019, R$ 40.000.

O modelo tem um pós-venda interessante, com as revisões mais baratas do grupos – as três primeiras visitas com preço fixo ficam em R$ 400, cada uma– e a maior parte da cesta de peças tem valores medianos.

O consumo, como observado no nosso Longa Duração, permanece como um dos destaques do carrinho, e o seguro também é barato.

Fiat Mobi Easy Comfort 1.0 – R$ 37.690

Os R$ 2.000 de queda média no preço do Mobi entre 2017 e 2018 voltaram em 2019 na versão Easy Comfort, que vem equipada com ar-condicionado, banco rebatível e rodas aro 14.

O modelo é embalado pelo motor 1.0 Fire Evo de quatro cilindros, que nada tem a ver com as configurações mais caras, que usam o tricilíndrico FireFly – e passam dos R$ 40.000.

O seguro do Mobi é um dos mais em conta do segmento e a desvalorização baixa faz com que o mercado de usados o veja com bons olhos.

Além disso, é econômico e tem o amparo da ampla rede de concessionárias da Fiat. Pena que o total das revisões fixas até 60.000 km e a cesta de peças não acompanhem essa lógica e sejam as mais caras da categoria.

Carros até R$ 48.000,00

Ford Ka SE 1.0 – R$ 46.290

O compacto da Ford impediu o pentacampeonato do HB20 graças ao bom equilíbrio, conjunto mecânico e pós-venda.

O acerto a reboque do facelift de 2018 resultou em um carro muito melhor, com consumo mais contido e dirigibilidade convidativa. Some a isso o seguro mais baixo da categoria e desvalorização normal.

O modelo também garantiu o primeiro lugar pela cesta de peças mais barata perante o rival da Hyundai e até mesmo o Renault Sandero, o que compensou as revisões menos atraentes que as dos concorrentes.

A versão SE vem com o eficiente e bem disposto motor 1.0 três-cilindros. O trato no conjunto resultou em um desempenho condizente com os 85cv.

Para muitos, é o melhor três-cilindros aspirado do mercado brasileiro, tanto pela força em baixas rotações e reduzido nível de vibração como pelo baixo consumo de combustível: 10,8 km/l na cidade e 13,3 km/l na estrada.

O modelo escolhido é mais interessante que o basicão S, vice-líder de 2018, que custa R$ 45.590. Recebe a mais o som My Connection com comandos de voz e maçanetas e capas dos retrovisores na cor do veículo.

Além disso, a SE já chega com ar-condicionado, direção elétrica, travas e vidros dianteiros elétricos, computador de bordo, Isofix e ajuste de altura do volante, entre outros.

Hyundai HB20 Unique 1.0 – R$ 44.490

O segundo carro mais vendido do país também foi o vice na categoria.

O compacto continua a atrair pelo design ousado, nível de acabamento superior à média do segmento e imagem de modernidade que a Hyundai emplacou por aqui, o que foi suficiente para deixá-lo à frente do Sandero.

O pentacampeonato só escapou por fatores dentro e fora de campo. Uma nova geração bate à porta do HB20, prevista para setembro. O seguro tradicionalmente mais caro e a cesta de peças com o custo elevado também jogam contra.

A Unique é mais barata que a Unique blueMedia, a versão campeã na categoria em 2018. No mais, vem com o trivial ar-condicionado, direção hidráulica, travas e vidros dianteiros elétricos, Isofix e computador de bordo.

Carros até R$ 56.000,00

Fiat Argo Drive 1.3

O Argo desbancou o Polo – vencedor de 2018 – e superou Ka Sedan e Fox ao beliscar um pouco de cada quesito. A começar pelo reposicionamento da linha 2020.

A versão Drive 1.3 ficou R$ 2.800 mais barata e saiu da categoria de até R$ 60.000 – onde ficou em terceiro no ano passado.

De lá para cá, o compacto ultrapassou a marca de 100.000 unidades vendidas, ganhou versão aventureira e até série da Seleção Brasileira.

A Drive 1.3 tem lista de equipamentos interessante, com ar, direção elétrica, chave canivete, monitoramento dos pneus, sinalização de frenagem de emergência e travas e vidros dianteiros elétricos.

Com a diferença de preço da gama 2020, é possível levar a central com tela de 9 polegadas.

O motor 1.3 é o melhor da linha: desenvolve mais que o 1.0 e tem rodar menos áspero e beberrão que o 1.8. O modelo garantiu o posto mais alto do pódio com seguro dentro do esperado e depreciação reduzida.

Ainda se vale do pacote de revisões competitivo e só perde para o do sedã da Ford – a de 60.000 km não tem preço fixo e foi calculada a partir da média apurada em concessionárias de São Paulo.

Isso assegurou ao Argo a liderança, mesmo a despeito da cesta de peças mais cara da categoria. E também com algumas correções que o hatch ainda pede, como câmbio com engates mais precisos e sistema de direção com atuação mais direta.

Ford Ka Sedan SE 1.5 – R$ 56.530

O três-volumes traz as mesmas melhorias que a Ford fez no hatch. Suspensão firme e bem calibrada, direção precisa e conjunto mecânico eficiente.

Ainda mais nesta versão com o 1.5 três-cilindros com disposição de sobra em altos giros e que casa quase que perfeitamente com a transmissão manual de cinco marchas.

O Ford perdeu a primeira posição especialmente pelas revisões salgadas e por ser o mais caro – entrou na categoria pela regra de tolerância do MELHOR COMPRA, com margem de R$ 1.000 para menos ou para mais.

O conjunto de peças mais barato da categoria assegurou o vice-campeonato. A versão SE oferece o básico: ar, direção elétrica, travas e vidros dianteiros elétricos, Isofix e som com USB e Bluetooth.

Carros até R$ 65.000,00

Toyota Etios Sedan X 1.5 aut. – R$ 61.490

A categoria ficou mais cara e o hatch da Toyota, segundo colocado em 2018, deu lugar à configuração sedã, que assumiu a primeira posição este ano.

O três-volumes assegurou o título por ter custos de pós-venda dentro da média. E, apesar de em nenhum quesito ser o melhor em termos de preço, goza da boa reputação da marca japonesa.

O Etios Sedan, por exemplo, tem a segunda cesta de peças mais barata, e também o segundo pacote de revisões mais em conta.

O seguro está dentro do previsto para a categoria, mas se vale de um índice baixo de reparabilidade. Destaque ainda para sua boa posição na pesquisa Os Eleitos 2018.

O conteúdo de segurança da versão X também contribuiu para o título.

O modelo tem controles de estabilidade e tração e assistente de partida em rampa. No mais, não sai do previsível: leva ar, direção elétrica, trio e computador de bordo. As rodas são de aço e só há preparação para som.

Além do espaço interno generoso e de um dos maiores porta-malas do segmento, a mecânica é outro ponto a favor do Etios Sedan.

Seu motor 1.5 16V é competente para a cidade e para a estrada – já que este é um carro que pesa menos de uma tonelada. Mesmo assim, merecia um câmbio mais moderno que a defasada caixa automática de quatro marchas.

Desagradam o acabamento de aparência simples e a carroceria com desenho controverso.

Aqui estão listadas as principais opções de veículos até 65 mil reais, boa escolha.