Home » Main » Custos para manutenção de uma aeronave

Custos para manutenção de uma aeronave

Dizem que comprar um avião é fácil, difícil é manter, isso faz até sentido, já que comprar um avião errado para suas necessidades pode ser uma fonte inesgotável de recursos.
De forma objetiva, um bimotor oferece despesas elevadas para um comprador que na verdade precisa mesmo de um ultra leve. Os valores variam de acordo com diversos fatores.
Sempre analise com cuidado a melhor opção para o seu uso. Neste texto traremos mais informações sobre o custo para se manter um avião. Mas lembre-se que os valores podem variar para cima ou para baixo, entre em contato com seu vendedor para saber mais.

Programa de manutenção

Algumas revisões e manutenções são extremamente obrigatórias em função do momento independentemente do uso do avião. Sendo assim, mesmo que você voe muito pouco, ainda assim será de suma impotância realizar algumas revisões como: IAM (Inspeção Anual de Manutenção), CA (Certificado de Aeronavegabilidade) e em aeronaves a pistão, é muito recomendado que pelo no mínimo a cada 6 meses seja executada pelo menos uma manutenção da categoria 50 horas.

Cada aeronave conta com seu programa de manutenção e ele deverá ser analisado durante a escolha do modelo ideal. Após identificar o número de horas planejadas e levantar os valores aproximados da execução dos cuidados obrigatórios, será possível planejar os gastos com manutenção ao longo do ano e calcular até mesmo o custo por hora, KM ou dia.

Hangaragem

Aviões deixados ao tempo se deterioram em uma velocidade aceleradíssima! Comprar um avião planejando deixá-lo exposto rotineiramente ao sol e chuva pode trazer despesas inesperadas. muito além da agressão à pintura, a chuva constante além de infiltrar nos tanques, ataca metais não preparados para esse tipo de contato tão frequente. Empresas como a Piper e a Beechcraft orientam a utilização de capas sobre o painel para reduzir o calor interno na cabine, que influenciam na durabilidade de componentes eletrônicos do painel.

Fora a deterioração, a segurança também é um fator relevante ao decidir hangarar seu avião. Aviões contam sistemas de segunraça muito simples e aeroportos, principalmente de cidades de interior, oferecem pouquíssima vigilância. Além do risco de furto de objetos, dispositivos e acessórios, também ocorre a possibilidade de seres humanos mal intencionadas ou apenas curiosos interferirem em componentes importantes como tubo de pitot ou até mesmo misturarem substâncias ao combustível ou óleo.

Ademais, empresas de hospedagem geralmente oferecem facilidades acessórias, como sistemas auxiliares de partida, salas de espera e até mesmo limpeza e polimento. Em aeroportos administrados, contar com o “atendimento” de uma dessas empresas significa agilidade no embarque/desembarque, uma vez que não é necessário passar pelo processo de embarque e traslado de solo.

A alternativa à hangaragem é a utilização do pátio de manobras e estacionamento, porém em aeroportos controlados, este serviço é tarifado e frequentemente, a utilização recorrente (mês inteiro) tem o valor bem próximo aos serviços de hangaragem do local.

Tripulação

Por mais reduzido que seja o uso da aeronave, um piloto administrando acarreta economia. Em uma conta simples, pode parecer um custo elevado, no entanto a administração da documentação, supervisão das manutenções e controle da disponibilidade da aeronave são tarefas que exigem conhecimento técnico. Do contrário, serão grandes as chances de você ser surpreendido com tarifas atrasadas, manutenção vencida, documentação irregular ou várias possibilidades imprevisíveis de um avião “sem piloto”.

Impostos e taxas

A cobrança de Imposto de Propriedade de Veículo Automotor (IPVA 2020, você pode encontrar mais informações no site https://www.ipva.org/) para donos de helicópteros, jatos leves e turboélices sempre é debatido por políticos em campanha. Em 2013 surgiu a “PEC dos jatinhos”, o texto de autoria do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sindifisco Nacional) propunha a incidência do tributo aos proprietários de aeronaves, a exemplo do que ocorre com os donos de automóveis, motos e caminhões.

A maioria das tarifas que incidem sobre aeronaves são decorrentes de voos, no entanto algumas são cobradas independente do uso. Estas tarifas representam um valor praticamente irrisório e não pagá-las acarreta na impossibilidade de voar.

Além destas tarifas, um seguro obrigatório também deve ser contratado anualmente, o RETA. Esta apólice cobre os prejuízos causados aos proprietários atingidos em caso de acidente sobre construções ou outros bens em solo.

Vantagens e Desvantagens

Podemos listar como principal desvantagem o custo fixo proporcionado pela manutenção da aeronave, podemos destacar as principais vantagens de possuir um avião para deslocamento diário, como por exemplo:

  • Controle dos horários de saída e chegada das viagens, proporcionando mais tempo útil para negócios ou lazer;
  • Sair e chegar diretamente das cidades que lhe convém, evitando ao máximo conexões e escalas;
  • Planejamento de reuniões, viagens e/ou atender saídas emergenciais, com decolagens rápidas;
  • Utilizar o tempo de voo para reuniões com privacidade;
  • Proporcionar conforto e agilidade aos clientes em deslocamento para seu negócio;
  • Deslocamentos e viagens com descrição e privacidade.

Colocando na pota do lápis: escolhendo a aeronave adequada para seu perfil, os custos operacionais podem facilmente ser cobertos pela economia de tempo, agilidade e praticidade. O fundamental é concentrar esforços em encontrar uma aeronave em boas condições e utilizar de forma consciente.